O fim do mundo 

Porra, sonhei denovo com o fim do mundo.

Foi assim, o planeta terra foi invadido por robôs alienígenas gigantes, esses mesmo que você imaginou lembrando de Jaspion e afins. Eu estava na casa dos meus pais em Jundiaí e de alguma forma a nossa casa já estava meio destruida. A garagem já estava sem o teto e as paredes quase desmoronando com os tijolos à mostra.

Peguei meus pais e minha prima (e eu seilá o que ela tava fazendo lá no meio) e entrei num carro que andava numa espécie de trilho. Quando já estávamos de saída veio um militar com farda e tudo e me chamou num canto. Me escalou pro exército pra acabar com os robôs gigantes. Me botou um colete e me deu um pé-de-cabra. Me mandou pra outro soldado que ia me aplicar umas injeções. Seilá o que era. Me senti fortão. Eu virei pro soldado e disse: “Ow, que parada é essa!? Me arruma mais vezes?” E o pé-de-cabra agora parecia de borracha de tão forte que eu estava.

Prontocabô. Só isso? Só. Acordei com a empregada tocando a campainha.