Marcado como: devaneios Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • otubo 21:27 em 13 de May de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: , devaneios,   

    Não existe forma de vida superior à raça humana fora da terra 

    Essa foi a belíssima conclusão que nosso amigo @guilhermeprado chegou na mesa do bar nessa última sexta. Segue a linha de pensamento:

    Se partirmos do pressuposto que tudo que conhecemos por universo hoje se originou do Big Bang, então o máximo que algum planeta aleatório conseguiu até hoje foi chegar ao estágio de evolução da terra. Explicando: Se todos os planetas tiveram o mesmo t-zero, então ainda não houve tempo suficiente para que tenha uma evolução maior do que o plenata Terra tem. No máximo eles estão no mesmo pé que nós – e portanto – não existem discos voadores, nem ETs visitando a terra e nem nada. Tendo em vista o tempo que a Terra levou para evoluir algumas moléculas aleatórias para seres concientes, a probabilidade desse tempo ter sido menor em um planeta aleatório é muito pequena.

    E depois falam que nerds não vão ao bar.

    Anúncios
     
    • Kleber 2:43 em 15 de maio de 2009 Link Permanente

      Concordo que todos os planetas e tudo mais no universo partiu do mesmo t0, mas a Terra se formou alguns bilhões de anos depois do Big Bang, e se algum planeta distante foi criado e conseguiu desenvolver um ambiente propício a vida antes da Terra?

  • otubo 17:40 em 4 de May de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    I did it my way 

    Estava eu ouvindo uma das músicas que eu considero mais bonitas, My Way do Frank Sinatra. Enquanto isso, discutia com o Edjunior sobre as várias versões dessa música tão famosa. E daí que, segundo a wikipedia, a letra é do Paul Anka e a melodia é da música francesa “Comme d’habitude” composta por Claude François.

    Não que isso faça muita diferença na minha vida, a música continua sendo foda.

     
  • otubo 5:27 em 6 de April de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    Incoerências 

    Taí, duas coisas que eu não vejo coerência alguma:

    (a) Evangélicos. Eu poderia colocar como “religiosos fanáticos”, mas prefiro citar este grupo em específico por que já tive péssimas experiências como essa moçada. Engraçado ver uma pessoa venerar cegamente (vulgo “fé”) uma entidade que sabe lá deus se ela existe (desculpe, não pude evitar o trocadilho). Justificar sua vida em seu nome, planejar sua vida em seu nome, dar dinheiro em seu nome e até deixar de seguir seus próprios princípios para seguir uma doutrina. Vou parando por aqui pra não arranjar confusão depois.

    (b) Aquela velha história de que “Ah, ela arrumou um namorado que a afastou do nosso grupo de amigos”. Mentira! Uma pessoa é completamente responsável pelos seus atos, se a guria se afastou então foi por que ela quis.

    Ok, mimimi demais por hoje. Vou dormir, boa noite.

     
    • B. 11:05 em 9 de abril de 2009 Link Permanente

      Também não entendo o fervor religioso das pessoas que deixam de aproveitar a vida HOJE para guardar seu pedacinho no céu AMANHÃ.
      Por isso virei fã da iniciativa dos ateus de Londres que estampara bem grande em vários ônibus da cidade a seguinte frase.
      “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”.
      Não é perfeito? 😉

    • B. 11:06 em 9 de abril de 2009 Link Permanente

      é estamparam e não estampara…foi erro de digitação. sorry. Você conhece meu “método avançado de digitação” e entende porque aconteceu provavelmente esse erro. 😛

    • P_ 12:25 em 28 de agosto de 2009 Link Permanente

      Sinto neste post uma “pontinha” de raiva/desilusão/revolta com relação ao que foi, certamente, um dos maiores “programa de índio” que já tivemos!!! Hahahaha Afinal a revolta chegou a ser até engraçada… nada que umas horas a ouvir música no carro e a falar besteira entre amigos não resolvessem! 😉

  • otubo 2:49 em 6 de April de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    O meu negócio é batucar 

    Hoje tive uns dos maiores insights da minha vida. Eu tenho um problema meio crônico com músicas: Eu gosto de batucar. Principalmente enquanto eu trabalho. Qualquer música que entra pelos meus ouvidos eu transformo em batuque no melhor estilo air-drums.

    Mas eis que hoje, andando pelo parque da cidade de jundiaí, vejo uma fanfarra. Ela passa fazendo todo o seu tradicional barulho tocando qualquer música que eu não me lembro agora. E como toda e qualquer música batucável eu começo a fazer um air-drums no ar e PIMBA! É isso! Eu não quero aprender bateria e tal e coisa, eu quero batucar! Eu quero participar de uma fanfarra!

    Adendo:
    Conversando isso com o @guilhermeprado, eis que surge:
    -“Então, cara! O meu futuro é participar de uma fanfarra! Vou fanfarrear por ai!”
    -“Há! Vai ser um fanfarrão!”
    Pronto, a conversa degringolou.

     
  • otubo 22:31 em 19 de March de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    Big Brother ao contrário 

    Meta: Era pra ser o primeiro post escrito do celular, mas a merda do Scribe não salvou e blá blá …

    Bem, já escrevi algo sobre Big Brother ao contrário no otubo.net, mas o caso é que como é só mais um pensamento aleatório, vai aqui mesmo.

    Com essa moda de ficar se mostrando (e tem que ser essa palavra mesmo) na internet eu criei três linhas de pensamento:
    (1) O nego inconscientemente cria um personagem, só ouve música diferentinha pra ficar no last.fm, só posta fotos de bacana no flickr e se  pensa muito BEM antes de escrever 140 caracteres no twitter. Acaba ouvindo Britney Spears com o scrobbler desligado e apaga várias vezes o que ia dizer no twitter.

    (2) O nego se condiciona a ser “melhor”, ouvir coisas mais interessantes, tirar melhores fotos, escrever melhor e naturalmente o cara sai da moleza do pensamento fácil. Pra ganhar amiguinhos virtuais ele passa a tentar se tornar uma pessoa mais interessante.

    (3) A pessoa é do jeito que ela é e fodasse. 😛

    Ou não. Isso faz sentido mesmo? Ou é viagem da minha cabeça?

     
    • Amanda 23:58 em 21 de março de 2009 Link Permanente

      Isso faz sentido. Eu acho que me encaixo na terceira linha de pensamento.

      Apesar de que, várias vezes apago as coisas que poderia falar no twitter. Não para escrever melhor ou coisa do tipo. É que às vezes escrevo de cabeça quente, ou muito no calor do momento, e ao terminar, eu percebo que nem todo mundo precisa saber daquilo. Afinal, mesmo com a vida tão exposta, a gente ainda tem um resquício de privacidade se a gente quiser. Né?

  • otubo 3:51 em 11 de March de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    direto do túnel do tempo 

    Agora que existe o Google, nós temos um conceito de endless storage. Você nunca mais vai apagar emails do GMail, nunca mais apaga scraps, coloca quantas fotos quiser no Orkut e por ai vai.

    Mas na prática o que isso siginfica? Ao longo do tempo, você vai ter um histórico imenso de informação. Um, dois, três anos se passaram desde que tenho Orkut, Gmail e tal. E daí que tá tudo lá. Email de ex-namorada, trabalho da época da graduação, discussão de listas, emails pessoais combinando cinema… É uma volta ao tempo.

    Bizarro pensar nisso.

     
    • Amanda 12:09 em 11 de março de 2009 Link Permanente

      Sabe que eu tenho pensado nisso ultimamente. Isso é foda, por que sou nostálgica demais. Tem vezes que me pego lendo chats e emails antigos que troquei com meu ex-namorado e amigos(as) que não tenho contato mais. E mesmo que não role mais nada hoje, dá um clima meio ruim. Por que parece que lendo, eu volto àquele tempo. Até os sentimentos parecem voltar.

      Acho que vou começar a apagar os emails mais antigos. 😛

    • B. 13:26 em 11 de março de 2009 Link Permanente

      Tem certas voltas no tempo que não são boas. Quando eu termino um relacionamento, eu apago emails, mensagens do orkut e talz. É como se fosse um reset na vida. E a partir deste reinício se desenvolverão novas relações tanto com as novas pessoas que aparecerão quanto com as antigas.

    • Fernanda 21:54 em 11 de março de 2009 Link Permanente

      Pensando nisso, eu num tenho nenhum email mto antigo, acho que fui apagando…e agora que me estabilizei com um email, antes tinha uns 2 ou 3 que acabam se perdendo. Mas num acho que volta no tempo seja lá uma boa idéia! 🙂

    • Fernanda 21:59 em 11 de março de 2009 Link Permanente

      ahhh conclusão do comentário. com isso num tenho nada que me lembre com tantos detalhes de outros momentos. msm se tivesse, ficar olhando num deve ser lá mto bom!

    • P_ 13:30 em 28 de agosto de 2009 Link Permanente

      Me identifico completamente! Nessa história meio nômade que criei para mim, passei três anos a viver e a planejar apenas 1 ano. Cada ano, tudo novo: casa, amigos… Tralhas para um lado, tralhas para o outro… Aprendi a fazer uma “faxina geral” no fim de cada período! O que não usei ou não vou usar… lixo!
      Esse ano piorou! Hoje não sei dizer o que vai acontecer com a minha vida daqui a 6 meses!

      Sei que parece meio radical… afinal era das que guardava as cartas da amiga da 3ª série! Mas não é… continuo a lembrar dos nossos códigos nas cartas… ou de umas galinhas desenhadas na parede do colégio de freiras! (lembra?!), mas já não preciso da parede!

      Os momentos que me fizeram quem eu sou hoje vão ficar para sempre, assim como as pessoas importantes… o resto?!… Bom, o resto passou, foi bom… mas já não faz parte do que eu sou hoje! E é isso que eu guardo, as coisas, pessoas, sentimentos, que me fazem ser o que sou hoje!

      Quanto aos discos da Xuxa… acho bem guardar na esperança que eles venham a valer milhoes, daqui a alguns anos! Hihihi

      (Ai quanta porcaria Dudu! Tá a parecer texto de auto-ajuda! Não gosto nada… Fica para vc ler, mas depois apaga tá!)

  • otubo 14:42 em 4 de March de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    cazuza 

    Menino que foi criado num berço muito confortável, mimado da cabeça aos pés. Viveu descontroladamente – e não haveria palavra melhor para descrever a sua vida. Se o garoto rebelde se foi por causa daquela doença, foi por que não teve limites. Não levou chinelada e nunca tomou um não na cara.

    Mas que as músicas dele são boas, bem, isso é inquestionável.

     
    • otubo 14:28 em 9 de agosto de 2011 Link Permanente

      Atualizando com contexto histórico: Cazuza, menino tratado a leite com pera e ovomaltino… 😀

  • otubo 0:35 em 2 de March de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    brasil 

    Brsail é assim:  Você vai à Búzios pra comer num trailler de comida tailandesa e é atendido por um frances com cabelo rastafari.

    …Pensando, esse post tem quase 140 caracteres, até valia um twit 🙂

     
    • b. 1:16 em 2 de março de 2009 Link Permanente

      E vc tem certeza absoluta que o garçom é francês quando ele manda você “olhar o menu atrás do manequin” fazendo biquinho. 😛

  • otubo 0:15 em 28 de February de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    Sobre o futuro 

    Seria cômico se não fosse trágico.

    Passeando hoje pela segunda vez consecutiva pelo shopping Leblon a gente já consegue identificar as futuras peruas e os futuros babacas. As infanto-peruas com seus 12 ou 13 anos já falam verborragicamente com as mãos, usam o telefone celular frenéticamente, fazem chapinha e usam roupas da moda. Os futuros babacões tem cabelo da moda, roupa chique e nem ligam pros outros. Fora a cara de merda default pra comida e a falta de educação espontânea.

    Triste é ver os pais estragando os filhos. Triste é saber que eles vão crescer e vão ser mais um daqueles ricássos sem noção alguma.

     
  • otubo 14:20 em 27 de February de 2009 Link Permanente | Resposta
    Tags: devaneios   

    Aula de ginástica 

    Era uma vez o homem das cavernas. Ele trabalhava duro, carregava peso todo dia e tal.
    Pensou que poderia otimizar e automatizar algumas coisas.
    Daí ele virou o homem moderno. Inventou o fogo, a roda, o vapor, o carro, o robô e o computador.
    E as coisas se tornaram fáceis demais, mórbidas demais, simples demais. É só apertar o botão, como eu estou fazendo agora.
    E não é que ele engordou? O tempo todo sentado apertando botões e tal.
    Preciso de uma aula de ginástica!
    Mas porra, era só ter continuado na caverna!

     
    • b. 1:20 em 2 de março de 2009 Link Permanente

      hmmm…e ter continuado comendo só quando conseguisse caçar, morrendo com trinta anos…hmmm…não…melhor entrar no site da academia e fazer matricula online ou comprar um wii. 😛

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar